O que é SKU e qual a importância na logística?

Todo o profissional da área de logística, bem como profissionais que lidam com a implantação de plataformas de e-commerce precisam ter domínio dos principais termos relacionados com essas atividades, e para ajudar a esclarecer dúvidas recorrentes de vários destes profissionais, elaboramos este artigo tratando sobre o que é SKU e qual a sua importância na logística.

O que é SKU ? Para que serve, e qual a sua importância na Logística

O termo SKU ou Stock Keeping Unit, em português significa “Unidade de Manutenção de Estoque” e se relaciona diretamente com a logística em armazém, sendo utilizado para identificar de forma inequívoca toda a variedade de diferentes tipos de itens estocados, de forma que cada um deles possuirá um código identificador associado.

Este código tem como objetivo identificar cada produto armazenado no estoque e classificá-los de acordo com suas características. Se você vende produtos ou é gestor de um armazém, podemos lhe afirmar que uma boa definição dos SKUs é a etapa principal para ter um controle de estoque eficaz na sua empresa.

Mas afinal, o que é SKU?

Trata-se de um termo utilizado na área de logística, que serve para identificar os diferentes tipos de ítens armazenados e/ou comercializados pela empresa, contribuindo para que a mesma possa ter controle total do seu estoque. SKU ou Stock Keeping Unit , em português tem livre tradução para “Unidade de Manutenção de Estoque”.

Eles são códigos que auxiliam os comerciantes a identificar mais facilmente os produtos que serão enviados aos clientes. Estes códigos são alfanuméricos e servem para separar os produtos de acordo com suas variações.

De forma simplificada, o SKU é um número que serve para identificar um determinado produto.

Um ponto interessante é que o SKU reúne algumas especificações do produto em questão, por exemplo:

  • Tamanho
  • Cor
  • Forma
  • Entre outros

Por exemplo, quando falamos de 500 SKUs estamos na verdade falando de 500 artigos de tipos diferentes.

Exemplos da utilização

Em um determinado posto de gasolina que trabalha com quatro tipos de combustíveis (gasolina comum, gasolina aditivada, etanol e diesel), podemos afirmar que ele está trabalhando com 4 SKUs diferentes.

Um caminhão está carregando 200 caixas de leite integral, 100 caixas de leite semi desnatado e 50 caixas de leite desnatado, podemos dizer que ele está carregando três SKUs, ou seja, três variações do produto, ou três produtos diferentes.

Um supermercado pode chegar a trabalhar com 50 mil ou mais SKUs, já que qualquer diferença entre as mercadorias (cor, sabor, tamanho, peso, marca), mesmo sendo de uma mesma marca, já vai representar um SKU distinto.

Qual a importância do SKU para a logística?

Primeiramente, devemos levar em consideração o aprimoramento que o emprego do SKU traz para a gestão de estoque das empresas. Com esse incremento de qualidade, é possível colocar os produtos em perfeita ordem dentro do local de armazenagem.

Outra vantagem é a respeito da comunicação entre as equipes e departamento de uma empresa. Com o código, fica muito mais fácil identificar e descrever os produtos, sem correr o risco de trocas e enganos.

Isso é muito importante, principalmente para empresas que têm que lidar com grandes quantidades de estoque, ítens com variações de cor e tamanho, além de terem uma movimentação muito grande.

Cabe destacar que uso de código SKU das mercadorias é fundamental para o sucesso das integrações entre sistemas em operações logísticas complexas, pois assim é possível assegurar que os softwares dos parceiros envolvidos estão trocando informações corretas, sobre os mesmos produtos, evitando equívocos que poderiam colocar a perder uma operação.

Importância do SKU no e-commerce

Para o setor de e-commerce, a utilização de SKU é ideal, pois evita erros de envio de produtos diferentes dos que foram adquiridos pelo cliente, além de permitir que através de um bom software WMS ou ERP se façam análises detalhadas, como a Curva ABC de estoque, afim de determinar quais os SKUs que tem maior aceitação do público e giram mais, o que ajuda na hora de planejar as compras e negociar condições melhores com fornecedores.

Para provar a relevância deste tema, note que grandes sites e marketplaces tem aderido, como foi o caso do Mercado Livre que passou a permitir a inserção do código SKU nos produtos anunciados no seu marketplace. Esta prática contribui para o melhor posicionamento das ofertas na plataforma, bem como ajuda na conquista da BuyBox em outros marketplaces.

Em resumo, o SKU colabora com a logística das empresas, fazendo com este setor tenha melhor performance e maior qualidade. Ajudando a evitar falhas e atrasos nas entregas.

Conheça as Melhores Soluções para o seu Armazém

Qual a diferença entre o SKU e Código de Barras?

Algumas pessoas ficam com esta dúvida, porém os dois possuem características diferentes.

O SKU pode ser lido e interpretado por seres humanos durante a operação e gestão do estoque, enquanto o código de barras deve ser lido por um leitor eletrônico.

Cabe observar que um código de barras muitas vezes poderá representar o código de algum SKU, basta para isso que seja gerada uma etiqueta de código de barras contendo código SKU de algum produto, através de um sistema no setor de logística.

Como criar um SKU ?

Existem alguns elementos que devem ser levados em consideração para a criação do SKU, são eles:

  • Material
  • Fabricante
  • Cor
  • Embalagem
  • Descrição do item
  • Tamanho
  • Garantia
  • Entre outros que representem variações do produto

Cada empresa deve definir a sua forma de gerar um SKU, mas após criar o seu método, é ideal que o mantenha para tornar a identificação mais fácil por meio da padronização.

Boas práticas e dicas para uso dos códigos de SKU

Partindo do princípio de que você já adquiriu um maior conhecimento sobre a importância e aplicação dessa codificação, é hora de apresentamos aqui algumas dicas e boas práticas para você criar bons SKUs e fazer o melhor proveito possível deles nas suas operações.

1- Cada produto deve ter o seu SKU

Nunca esqueça que para garantir a segurança e qualidade nas operações é imprescindível que cada produto possua o seu próprio código SKU, já que através dele também se determina as variações de um produto para outro. Imagine os casos onde você tenha 2 produtos do mesmo modelo, porém com cores ou tamanhos diferentes, neste caso, os SKUs devem ser diferentes, afim de evitar a entrega de um ítem com a cor ou tamanho errados para o cliente.

2- Prefira usar o SKU do Fabricante do produto

Muitos produtos já possuem código SKU definidos pelo fabricante, e neste caso é altamente recomendável que você o adote, já que todos os demais vendedores dos marketplaces estarão utilizando este mesmo código, e isso vai ajudar a atrair mais vendas para a sua loja nesse tipo de plataforma. Sendo assim, recomenda-se criar novos SKUs apenas para produtos de produção própria, ou para produtos que realmente não tenham um código desse tipo definido pelo fabricante.

3- Obedeça uma regra padrão de formação

Afim de facilitar a leitura e interpretação rápida dos códigos no dia a dia das operações é fundamental que eles sejam criados obedecendo um padrão lógico e fixo. Por exemplo:

Exemplo de como criar um código SKU de produto

Imagine que você está criando um código para um televisor, como consta na imagem acima (apenas ilustrativo), os primeiros dois caracteres estão designando a marca do aparelho, as próximas 3 letras indicam o tipo de tela, já os próximos 2 números “49” representam o tamanho da tela, os próximos 4 números “5502” correspondem ao modelo e a última letra “P” indica a cor.

Utilizando uma regra lógica como esta fica bem mais fácil para identificar seus produtos por meio dos SKUs.

4- Crie códigos curtos e foque no essencial

Muitos profissionais quando vão criar um código SKU caem no erro de querer colocar muitas informações dentro do código, e colocam informações desnecessárias, que somente atrapalham a leitura e interpretação do mesmo no dia a dia.

Vale a regra: “Um bom código de SKU deve conter apenas as informações que serão realmente úteis no dia a dia”.

Certas informações como “ano de fabricação do ítem” só servem para complicar o código, e atrapalhar o processamento correto das informações em relatórios dos sistemas e plataformas posteriormente.

Esse tipo de informação pode ser colocada em campos específicos dos sistemas ou então em algum campo de descrição do produto, mas não se aconselha colocar no próprio código.

A melhor forma de controlar o estoque

Além da correta criação dos códigos para cada SKU, é preciso se basear em ferramentas tecnológicas adequadas para agilizar e qualificar as operações do seu armazém de carga.

Para evitar possíveis problemas e manter a organização do armazém, o ideal é que se utilize um Software de Gestão de Armazéns, que previne rupturas de estoque, ou seja, evita que você venda produtos além das quantidades disponíveis no seu estoque, bem como oferecem relatórios adequados para análise e tomadas de decisões mais acertadas.

É possível integrar um bom sistema WMS com as diversas plataformas de Lojas Virtuais e Marketplaces para manter as quantidades de produtos em estoque atualizadas nos sites, permitindo impedir as vendas quando a quantidade de determinado produto em estoque chegar a zero.

Por este motivo, a WMS Tech criou uma ferramenta versátil que se apresenta na forma de 4 soluções: WMS e-Commerce, WMS Agro, WMS Frio e WMS Simples, atendendo a diversos perfis de empresas e facilitando o controle dos seus estoques.

Conheça as Melhores Soluções para o seu Armazém

Para saber mais, acesse o nosso site e veja o que podemos fazer pela sua empresa!